Optimização de um método quiral para compostos iónicos

A utilização de aditivos/modificadores leva frequentemente a uma melhoria na resolução e forma do pico na análise de compostos iónicos. As razões disto devem-se a uma mudança do pH e/ou aos efeitos do reagente de par iónico.

 

1. Adicionar ácido trifluoroacético (TFA) a substâncias ácidas
Para a análise de compostos ácidos, por exemplo o TFA, o ácido fórmico ou o ácido acético podem ser utilizados como aditivos. Estes modificadores pode ser adicionados a um eluente até 0,5%.

Abb1

Abb2

Figura 1: influência do TFA na separação quiral do Ibuprofeno, utilizando a coluna CHIRAL ART Celulose-C.

Estabilidade de longo prazo quando se utiliza o TFA com aditivo:

Abb3

Figura 2: estabilidade da fase a longo prazo do CHIRAL ART Amilose-C quando se usa 0,1% de TFA como aditivo numa análise do Warfarin.

 

2. Adicionar Dietilamina (DEA) a substâncias básicas
Com frequência os compostos básicos podem ser separados de forma mais eficiente através da adição de DEA, butilamina ou etanolamina. Estes aditivos também pode ser empregues numa concentração de até 0,5% no eluente.

Abb5

Abb6

Figura 3: influência do DEA na separação quiral do Propanolol, utilizando o CHIRAL ART Celulose-C.

As fases polissacarídeo CHIRAL ART são:

> Robustos

> Disponiveis com ligantes revestidos e imobilizados

> Preço atractivo

Ÿ

Dowload do artigo

Partilhe esta publicação

Mais Notícias

Certificação do IAPMEI

É com um imensurável prazer que comunicamos o cumprimento dos critérios de micro empresa nacional com a respetiva atribuição do Certificação PME: “O IAPMEI –

Ler Mais »